Veronica Esteves | Quais crenças te limitam?
15756
post-template-default,single,single-post,postid-15756,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1200,footer_responsive_adv,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-content-sidebar-responsive,transparent_content,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive
 

Quais crenças te limitam?

Somos marcados pelo ambiente no qual fomos criados e vivemos, assim como por fatores biológicos e psicológicos a que estamos sujeitos. Imersos nestas influências criamos alguns de nossos pensamentos e comportamentos. Mas, é sabido que, podemos imprimir força e mudá-los quando necessário.

A maneira como percebemos nossa realidade está ligada as experiências vividas, formando modelos mentais que ficam registrados em nosso inconsciente. Isto ocorre porque vemos, escutamos e percebemos o mundo através de filtros, interpretando as informações que recebemos conforme as conexões que fazemos. Alguns destes modelos podem nos alavancar. Outros podem restringir nossa visão de mundo e de nós mesmos.

Muitas pessoas começam algo e logo desistem por acreditarem ou julgarem que não poderão aprender ou fazer alguma coisa diferente do habitual. Outras nem começam. Comportamentos, pensamento e palavras pronunciadas, refletem nossas crenças. Frases como “Ninguém gosta de mim”; “Não sou bom nisso”; “Nunca vou conseguir …”, nos colocam em lugares e condições que podem nos impossibilitar de pensar, vislumbrar outras possibilidades e fazer escolhas diferentes da qual estamos acostumados. Ouvi de um cliente: “É muito difícil reconhecer um lugar bom depois que estivemos em 10 lugares ruins.” Se obtive experiências negativas repetidas na carreira, por exemplo, posso passar a acreditar, mesmo que por um período, que não sou bom profissional, adquirir alguns medos e, consequentemente me frear diante de oportunidades. Para superá-la, é preciso vasculhar essa história e reciclá-la para que não nos tornemos reféns e sim, autor de nossa própria vida. Experiências do passado podem ser revistas e ter um novo sentido. Crenças podem ser reeditadas, levando a pessoa a reconciliar-se consigo mesmo e desfazer padrões e hábitos preestabelecidos.

Mudar o padrão requer esforço e disciplina. Mudanças efetivas se dão a partir da transformação de alguns de nossos modelos mentais, ou seja, da maneira de acreditar e enxergar as coisas. Na vida sempre nos deparamos com a possibilidade de darmos novas respostas diante de situações que, durante muito tempo, respondíamos de forma condicionada. Somos capazes de reagir nos ofertando a oportunidade de mudança quando dispostos a atuar diante dos fatores que influenciam nosso pensamento e atitude, uma vez que, temos a liberdade frente a expansão de nosso potencial. Contudo, é preciso focar nos nossos recursos, pontos fortes e habilidades, ter conhecimento claro dos objetivos que queremos atingir, fazer escolhas e tomar decisões. Concentrar-se em experiências positivas nos levam em direção aquilo que almejamos construindo situações que são como presentes para nós.

Ter esta consciência é o início de uma nova conversa consigo mesmo. Ao estarmos conscientes daquilo que devemos quebrar e superar podemos nos desafiar gerando a oportunidade de enfrentar as situações, mesmo que parecidas com as anteriores, com um novo olhar. Assim, vamos construindo novos pontos de vista, criando um sistema de crença alinhado aos nossos sonhos, objetivos e metas.

E você? Conhece suas crenças limitantes? Tente observar suas crenças no seu dia a dia. Estas te empoderam ou limitam seu potencial?  Ao conhecê-las, o que se propõe a fazer?

 

Se você acredita que pode ou se acredita que não pode, das duas formas você estará certo. – Henry Ford

Sem Comentários

Sorry, the comment form is closed at this time.

Conecte-se. Inspire-se. Interaja.